quarta-feira, maio 16, 2007

Vai um conselho?


Saber escutar o que aqueles que você ama têm a dizer é um dos melhores remédios para as almas mais amarguradas. Quando se cultiva algum problema, um dos melhores remédios podadores desse mal é um bom conselho daqueles que o querem bem. Muitas das vezes, a força de um conselho não reside apenas na mensagem que ele passa. Mas da combinação 'pessoa que fornece + intenção com que diz + resultado a que se chega". Algumas vezes a mensagem pode ser dura demais, pode não ser o que se queira escutar, mas diante dessa tríade poderosa da boa e eficiente intenção, nenhum desejo pueril é mais valente.

Do mesmo modo que um dia aprendi que 'o que se diz pode ser enternecido pelo modo com que se diz' - fruto de uma sábia pessoa que me se serve de exemplo e admiração profunda -, também aprendi que isso que se diz deve muito de sua finalidade ao quanto o outro está disposto a ouvir. E a deixar-se convencer. Portanto, não há verdade acalentada pela meiguice e modos de dizer que surtam efeito nos maus-ouvintes. Embora a meiguice dos que sabem dizer algo com carinho seja por deveras necessária àqueles, digamos, domesticados para a arte da audição controlada, às vezes do que se precisa seja da verdade nua e crua, para os surdos por escolha.

Daqui por diante, aguçarei mais meus sentidos, mais do que me policio fazer. Valorizarei mais as intenções dos conselhos que me dão, mais ainda do que os próprios conselhos. E tentarei apreender lições não simplesmente da mensagem, não somente dos efeitos causados por tal conversa: mas também do que significa para aquela pessoa dizer-me aquilo que ela acredita ser bom pra mim. Talvez ela esteja superando regras impostas a ela própria... talvez seja um recente aprendizado que ela deseje dividir comigo...talvez seja a simples e terna vontade de me ver mais feliz.

E isso me está sendo mais do que suficiente. Melhor do que superar traumas é saber que se está bem servido não apenas de bons conselhos, mas de excelentes conselheiros.

2 comentários:

Aninha disse...

Já diz o velho ditado:
"Deus nos deus dois ouvidos e apenas uma boca para que possamos ouvir mais e falar menos."
Sim, é importantíssimo ouvir bons conselhos de pessoas queridas... Não é falta de personalidade, mas flexibilidade e maturidade para discernir quando é tempo de rever seus conceitos... Keep walking!
=***

Beth disse...

=)