quinta-feira, junho 01, 2006

Crítica à felicidade


Todos dizem que tudo passa, que é só pensar no melhor, que as coisas servem apenas para aprendermos, que somos fortes, que no final tudo fica bem. Isso deveria se chamar otimismo? Otimismo para mim não é essa certeza e essa fé desenfreada de que no fim tudo irá florir. Otimismo é a certeza de que se fez o possível para que a flor crescesse um pouco. E é difícil ser otimista novamente quando se acha que se fez o necessário, e mesmo assim não se viu pétala sequer. É difícil...Mas é impossível?
Muitas vezes me peguei pensando que sou abençoado por ter amigos bons e fiéis, pessoas queridas que me fazem sentir bem a cada lembrança, que estou num caminho considerado privilegiado em relação a maioria das pessoas da minha idade, e que, apesar de tudo, sou feliz por ser o que sou hoje: alguém que soube se construir a ponto de não deixar ser desconstruído por pouca coisa (nem por muita).
Esses pensamentos todos confortam, contudo não deixam a certeza de que esse caminho terá sempre a linha traçadinha, pronta a ser vista e seguida a cada curva, cujos destinos não podem ser muito além daqueles já traçados. Ou seja, dão a errônea previsão de que só por ter seguido o caminho certo até agora, será muito difícil que esse caminho se desvirtue e tudo passe a dar errado. Aí é que se encontra a nova reflexão: apesar de tudo parecer estar certo, a qualquer momento a vida pode nos surpreender. Um caminho perfeitinho, bem trilhado, nos conformes, pode ir de encontro a um abismo a qualquer momento. E a consciência dessa incerteza (im)provável funciona como um botãozinho de alerta pronto a ser acionado sempre que esse caminho está indo por outra rota.
Portanto, meus caros, longe de mim fazer transparecer aqui que minha rota está mudada, ou que caí no abismo perdido das minhas expectativas frustradas. Mas que é importante perceber que esse botão de alerta está tão vivo quanto a certeza de que o bom pode acabar a qualquer momento. E de que somos tão vulneráveis aos efeitos dessa vida que, apesar de maliciosa, nos ilude com um sorriso de criança, fazendo-nos esquecer que às vezes ela pode nos calçar, caso deixemos a aparência desse sorriso nublar o próximo passo. Vamos, sim, dar vazão à felicidade, mas sem esquecer que um momento feliz é apenas uma amostra do que a vida pode dar, caso façamos sempre o que parecer correto. Caso contrário, aquela estrada bem sinalizada, iluminada, margeada por árvores frondosas, que compõem um destino propenso ao sucesso, se não for constantemente analisada criticamente em sua aparente perfeição, pode, repentinamente, levar a um beco sem saída. E, desse beco, a saída tende a ser mais difícil.
Bem-vindos à crítica à felicidade. Felicidades!!!

5 comentários:

Bruno Guilherme Cassimiro disse...

"somos tão vulneráveis aos efeitos dessa vida maliciosa, que nos ilude com um sorriso de criança"

Mais uma vez, só tenho elogios a tecer. Muito bom o texto, reflete bem a realidade das coisas...

Um abraço! até breve...

beth disse...

Não existe nada mais incerto do que o futuro..concordo contigo quando dizes que apesar de tudo estar correndo tão bem, de repente uma nuvem negra recai sobre nós e o curso de nossa existência nos faz ver o quanto somos pequenos. Mas acredito também que, apesar de ser bastante difícil, talvez seja possível espremer algum propósito dos acontecimentos, mesmo que estes não sejam tão agradáveis. Posso citar como exemplo o dia em que voinho foi internado na UTI. Todos acreditavam que tudo ia melhorar, afinal, os médicos estavam otimistas e ele só tinha entrando no Hospital com um problema, a princípio, não tão grave. Entretanto, as coisas se complicaram, e voinho veio a falecer. Todos já passaram por experiência assim. O que pude tirar de lição deste fato tão trágico? Passei a acordar todas as manhas e agradecer a Deus por mais um dia de vida meu e de cada um dos meus familiares. Nem todos estarão comigo durante todo o tempo, mas agredeço a Deus, hoje, por me proporcionar sempre mais um dia, e tento aproveitá-lo da melhor maneira possível. "Em paz me deito e logo pego no sono, porque só tu Senhor me fazes repousar seguro" - é bom saber que existe um Deus que nos toma nas mãos e cuida da nossa felicidade e do nosso futuro.
bjoo higgo...adorei o texto

Flávia disse...

Só pra dizer que não passei por aqui!! Tu escreve bem né? Já tinha me esquecido o quanto!! Te adoro!! Mto bom o texto! bjoo

thais disse...

ai ai...
nem me fale em felicidade...
te amo higgo
bjo enorme

Bruno Guilherme Cassimiro disse...

Higgggoooo... ehehehe he adorei o "habeas materium" ehehehehe que tal um "habeas vestidum" ? ehehehehee Eu adoraria... eheheh vamos inovar... ehehehehe vc leu os comentários da namorada dele? heheheh "quem sabe daqui a um tempo não exista "habeas carrum"? heheheh quem sabe? ...
abração, higgo!