segunda-feira, junho 05, 2006

Impureza


Impressões, imagens rubras no olhar
suspirando pela luz que trará
mil histórias e memórias
de loucuras e atitudes de lá
Coisas imprecisas, clarão
de vazios, roupa suja no chão
desperdício, sacrifício
de sucessos que jamais saberão
Horizontes, nuvens no céu
brigadas de guerra, bordel
pelas ruas, seminuas
fêmeas estendidas num carrossel
Predispostas, sob rigor
Nunca saber o que é amor
Más condutas, absolutas
de quem troca ilusão pela dor
Sustentando sonhos sem fim
sem saber que vida assim
extraviada, madrugada,
desconstrói a esperança do sim
Nos asfaltos, reflexos
sombras estendidas ao sul
bem perplexas, desconexas,
procurando carros no azul
Os faróis as iluminam
escondendo a exposição
das vergonhas, com tamanha
fama de quem luta contra a emoção
Nessa estrada de sedução
droga, vida, nota é jargão
mais doenças, mais descrenças
mero triunfo da solidão
Mas se nunca o sol raiar
a necessidade de estar
na cidade, liberdade
vaidade pra dispensar.
Sofrimentos custam em vão
o valor do seu coração
impureza, mas beleza
no interior de uma canção...

3 comentários:

thais disse...

tu é de mentira ou de verdade hen?!
que poesia mais linda!!
te amo meu fru!
beijos

beth disse...

adorei!

Anônimo disse...

Você parece que possui um tradutor diante de tudo o que pensamos!! Te amo ,primo!