sábado, junho 10, 2006

Compreensão



Eis que, abruptamente, pára o motorista e fala:
- Desce!
_ ... ! - respondeu a mulher, estupefacta.
Após um clímax nada amortecido pelo silêncio, ambos entrecruzaram olhares e entenderam, sem entender, que foram feitos um para o outro.
E ela nunca mais desceu daquele carro, pois, momentos depois, este veículo em que se encontravam patinava na pista molhada, indo de encontro a uma grande muralha.
Ah, se ela tivesse descido....
Talvez a compreensão encerrada naquela troca de olhares a tenha matado. Mas a fez morrer com a certeza de alguma vez já haver amado.

2 comentários:

thais disse...

aiii q triste!!
mas lindo o mesmo tempo!
bjooo amor

beth disse...

muuuito bom!