domingo, maio 28, 2006

Arrependimento


Para que não possas dizer que nunca fui capaz de nos cuidar
Olha agora e vê meu sentimento no papel
E se nem ligas para o que um dia fui capaz de estragar
Saiba que hoje minha vida é fosso, fumo e fel

Entendas que nunca quis me passar por distante
E que nosso desentendimento foi todo uma má-explicação
Que sempre na verdade tentei levar adiante
O que teimavas em chamar de falta de usar o coração

Confesso que muitas de nossas crises foram detalhes sublimados
E que muitas de nossas voltas vieram de pena e de saudade
Mas isso é a que se submetem dois apaixonados
Que não se entendem e se perdem no perigo de só enxergar maldade

Às vezes não caibo em mim de tantos arrependimentos
E choro em descompasso com a rotina que tua falta me traz
E sinto por não poder voltar a todos os momentos
Em que deixei escapar aquela que um dia trouxe a paz

Por isso eu sigo nessa vida apenas solidão
À espera de que a calma da distância alivie nossa dor
E que talvez te reencontre numa linda canção
E possamos reviver e repetir o que sempre em nós ficou: o amor
***
Arrependimento. Ou modelo para os arrependidos de tanto amor.
Texto do ano passado. Mas, que por ser tão distante de mim, se tornou atemporal.

2 comentários:

May disse...

Ai ai...
Você nunca arrepende-se né?!
sim...sei!!!!
Higgo, gato garoto, tu sempre cái nas nossas armações né?
Caramba é muito engraçado te ver irritado!!!!
Eu e tats estava rindo do teu estresse em uma outra janela do msn, enquanto tramávamos o que mais te cutucar para aumentar sua revolta!
uahuahauhauhauahuahauhauha
Adoro!
Não é a toa que sou mayléfica!
uhauahuahuahuahauha
Bjinhossss

betinha disse...

mudou o visual do blog...adorei!
te amo amigo