segunda-feira, julho 16, 2007

O assunto é esporte







É como se diz. Ganhar é bom. Ganhar em cima da Argentina, é bom demais!! Finalmente, posso vir falar bem - e muito bem - de futebol, esporte com que não tenho intimidade, mas não deixo de sofrer todas as emoções que um brasileiro é capaz de ter. Mais ou menos há um ano atrás, afirmei que minha bandeira estava vermelha de vergonha, porém, nada melhor como um ano atrás do outro, para o orgulho deixar-se transparecer.


A seleção de futebol não apenas venceu medalha, troféu e dinheiro. Não só apenas levou o bicampeonato da Copa América. Não somente classificou-se para a Copa das Confederações. Estas são meras conseqüências. O que mais me orgulho é a forma com que venceu! O jogo bonito, raçudo, confiante e certeiro que desfilou em campo. Não se via apatia, nada de jogo entregue, jogadas argentinas cortadas no meio-de-campo, bendita trave, bela defesa...Tudo conspirava a favor! Argentinos corriam de um lado a outro, num tango ensaiado, consciente e poderoso, mas ineficiente frente ao poderio do samba no pé dos jogadores brasileiros. Lançamento milimétrico de Delano, ajuda providencial de Ayala e passe profissional de Vágner Love desenharam o chocolate brasileiro aos nossos hermanos. Bela vitória!! Belo jogo!! Assim que se faz: gana, força e energia para fazer jus a uma camisa rica em história!!


E não apenas o futebol nos orgulhou nesse domingo. É Panamericano!!! Não esqueçamos que no sábado o handebol feminino entregou mais uma goleada, desta vez para as canadenes, firme na luta para o ponto mais alto do pódio. Diogo Silva se fez líder no taekwondo, emocionando a todos numa das mais belas imagens do Panamericano do Rio. Nosso time de vôlei masculino, sublinhou sua força de mestres no esporte, galgando mais um título da Liga Mundial de Vôlei, o sétimo, apenas um a menos que os grandes italianos. Ah! Não esqueçamos do time juvenil de Vôlei, que sobre a mesma Rússia, levou o Título Mundial! E, como se não bastasse, uma menina de origem humilde do Rio, Bárbara Leoncio, de apenas 15 anos, conquistou a medalha de ouro, com o melhor tempo de sua vida, nos 200 metros rasos do Mundial de Atletismo.


É de encher de orgulho qualquer peito verde-e-amarelo. Podem paracer conquistas tímidas frente a qualquer nível de primeiro patamar, podem soar como raros os momentos de glória dourada de nosso esporte. Mas é dessa forma, e através de nosso reconhecimento, que podemos continuar vencendo, nos tornando, um dia quem sabe, uma potência olímpica de fazer tremer os adversários. Como em quase todos os setores sociais em nosso País, o esporte não possui o investimento necessário, cabendo-lhe incentivos privados, projetos sociais comunitários e pouca quase nada cultura esportiva de atividade transformadora. Muito a melhorar!! Muito!!!


Mas a certeza de que somos reconhecidos, além de por nossa condição de aprendizes em diversas modalidades, pela garra e pela vontade incontestável de entrar para vencer. No Panamericano, estou certo de que muitos dias como o de domingo hão de vir. E muitas vitórias mais, para fazer-nos alavancar no ainda apagado quadro geral de medalhas. Temos natação (Rebeca Gusmão!), ginástica individual, atletismo, finais de vôlei e handebol, muito, muito por vir. E com toda essa esperança, uma torcida sem fim, para realçar os tons de nossas bandeiras e para inflar-nos os peitos orgulhosos.

Um comentário:

Beth disse...

Vai brasil!!!!!!!

=*