quinta-feira, outubro 12, 2006

Má digestão


O fundo das meias manchavam-se com a sujeira do chão daquele cenário grotesco. Corpos vestidos de gala, smokings e longos inutilizados vestindo cadáveres. As pernas dos noivos confundiam-se com as dos seguranças; os dentes do padre agora se perdiam debaixo das saias das damas de honra. Membros e vísceras agora enfeitavam o ambiente, novos elementos da decoração. As cortinas adquiriram um tom mais róseo. Mesas e cadeiras jogadas, horror espalhado em cada emenda do salão. Enquanto limpava o suor que escorria pela testa, revirava os corpos atrás do órgão de que necessitava. Deveria estar em algum lugar por debaixo daqueles tecidos, daqueles tufos de cabelos e pêlos ensangüentados. Enquanto tropeçava entre os pedaços, ossos estalavam sob os montes de carne contorcidos regados a 'champagne' francês. Não havia nada que o fizesse desistir de sua procura insana; não desistiria de resgatar aquele que viria a ser o maior troféu do único amor que ousou rejeitá-lo. Havia anunciado que aquele coração um dia voltaria a ser dele...Logo, o procuraria nem que o seu sangue começasse a se misturar ao daqueles inúteis. Até que, enquanto ria da face de horror de uma das tias do cadáver principal, viu reluzindo sob o vestido branco o coração que procurava. Parecia ainda pulsar no momento em que o mordia com toda a força, sentindo o gosto interno das cavidades misturado ao de sangue seco. E o mastigou impetuosamente, engolindo-o com satisfação.
***
Após o banquete, levantou-se calmamente e sentou-se à mesa dos noivos. Guardando a lembrança do matrimônio no bolso do paletó, calmamente levou um guardanapo à boca, limpando o sangue que dela escorria. O sangue daquela que um dia lhe negara seu amor, mas que agora era digerida pelas enzimas de seu estômago. Um brinde à má digestão.

2 comentários:

beth disse...

nunca mais tinha entrado aqui...já tava com saudade dos teus textos..
bjoo

thaís disse...

pense numa ma digestão que eu to...