quarta-feira, outubro 18, 2006

Graforréia


Mais importante do que o que se diz é a maneira como isso que se diz chega aos ouvidos daquele a quem se destina o recado que sai daquele que deseja emitir alguma opinião sobre alguma coisa que o chamou a atenção para que alguma atitude sobre alguma coisa possa ser tomada quando alguém que deseja chamar atenção para alguma coisa tenta fazer com que outra a receba e capte tudo que se intenciona, mas se, no caminho, a experiência do que aquele quem diz o recado se confunde com a forma com que se tentou dizer, e, mais ainda, as experiências daquele que recebe suplantam a tentativa tosca de entender o recado dado, perde-se tudo que se tentou fazer com a emissão do singelo recado, que mesmo importante pode se perder no que alguém não conseguiu transmitir e no que alguém não conseguiu captar, fazendo disso um grande e claro e confuso retrato das nossas próprias vidas: uma complicada graforréia que se perde num emaranhado de palavras que parecem nunca acabar, e se fantasiam do que tanto se quer transmitir mas às vezes não se consegue, a famigerada e discutida e complicada mensagem.

Um comentário:

Beth disse...

muuuito bom....é o grande abismo gnoseológico...eheheheh