terça-feira, abril 10, 2007

In Sônia



Sônia era uma garota de muitos sonhos.

Fosse acordada, fosse dormindo, lá estava Sônia nos mais alucinógenos pensamentos...

E neles, ela estava sempre descalça, flutuando, envolta por bolhas de sabão, coberta pelas notas de "My Girl"...

Involutariamente, em seu dia-a-dia, nos poucos momentos em que conseguia ser solitária, Sônia se envolvia com seus sonhos de bolhinhas de sabão.

A vida de Sônia era tão sem graça, que ela buscava em tais sonhos a realização da fuga idealizada, do tempo paralisado que não adiantava, nem rebobinava, da desejada falta de sentido na ilusão acalentadora de uma realidade emoldurada apenas pelos seus recônditos desejos.

Mas, eis que num terrível dia Sônia parou de sonhar. Incrivelmente, por mais que tentasse bravamente transportar-se ao sabão, à melodia alegre, aos pés descalços flutuantes, Sônia não conseguia.

Lutava, rolava contra o mau-tempo, amaldiçoava sua má sorte e desejava a morte.

Sem seus sonhos, sua realidade não tinha mais sentido. E tudo que uma dia Sônia construíra de belo vinha de sua faculdade de imaginar-se além.

Sem seus sonhos, era ninguém.

Assim, Sônia foi definhando, cada vez mais atada aos grilhões de sua má-quista existência.

Setenciada por uma insônia capaz de apagar-lhe tudo que nela era alma, Sônia morreu por falta de sonho.

E,certamente, em algum lugar onde a vida seja apenas de flutuantes pés descalços e bolhas de sabão, lá estará Sônia, a entoar os primeiros versos de sua música favorita - "I've got sunshine on a cloudy day"-, deixando os raios-de-sol passar por entre as nuvens cinzentas, esperando ser acordada de seu derradeiro novo sonho, que brilhantemente teimava em não acabar.





2 comentários:

lêu disse...

sônia foi sonhar para sempre.

Aninha disse...

Até que eu me identifico com algumas insônias de Sônia... Hehe
Xerooooo