quarta-feira, janeiro 04, 2006

brincando de ser criança


É bom brincar de ser criança. E essa brincadeira deve ser levada muito a sério. Todos conhecem a máxima mais que certa de que todo mundo quando cresce deseja voltar a ser criança. Porém, o tempo, implacável como ele só, nos nega veementemente essa possibilidade. Contudo, quem nega é o tempo, meus caros. Apenas ele. O nosso estado de espírito, nossa imaginação, nosso coração...não! Contra estes nada o tempo pode fazer senão fazê-los envelhecer. E isto ele faz com voracidade!! Só que nós podemos contra-atacar!!! Como?? Bem, esse é o assunto a ser discutido.
Somos extremamente vulneráveis aos efeitos devastadores do tempo. Ao fazer o que nos é de mais direito fazer, viver, nos entregamos aos braços imbatíveis do senhor tempo. E o viver para muitos significa amadurecer, acumular experiências, crescer em todos os sentidos e seguir em frente na longa (ou breve) escalada do senhor tempo até chegar a hora da despedida. E esse viver muitas vezes encontra por este caminho obstáculos diversos, que nos fazem apagar o passado com uma bocharra boa pra danar, nos tornando a cada dia que passa adultos igualmente sérios e compenetrados em estudar, trabalhar, pensar no futuro, futuro, futuro. Nos faz deixar de rir, nos faz deixar de brincar. As responsabilidades trazidas pelo senhor tempo tendem a não nos conservar aquela criança que habita em nós e aí se esconde . É então que entra nosso grande ponto a favor que temos contra o tempo. É não deixar morrer essa criança. Podemos viver, sim, mas com alegria e sinceridade de criança. Podemos e devemos ser adultos, com todos os afazeres de adultos, com ordens a dar e a seguir, gente para educar, contas a pagar, viagens a fazer, mas sempre com um sorriso que conserve aquela ingenuidade e honestidade infantil nos lábios. Sempre com aquela disposição interminável que nos faz perder os limites vez em quando.
A infância é o período mais curto de nossas vidas e dela apenas levamos flashes, bonecas carecas, carrinhos sem roda e roupas pequenas. Devemos levar muito mais. Devemos levar sempre conosco aquele pequeno grande coração que foi desamolecendo ao longo do senhor tempo à medida que cada vez mais aumentava o volume de sangue bombeado. Devemos sempre nos lembrar da criança que fomos para formar o adulto que queremos ser.Eis mais um motivo por que devemos levar tão a sério esse negócio de ser criança, sem medo de nos chamarem de infantil. Antes ser um infantil, meus caros, a não poder reviver a criança dentro de nós por esquecer de ter sido uma. Seja criança novamente não só por você, mas pelo mundo ao seu redor, que a cada minuto transforma o sentido dessa palavra. Não deixe a infância morrer. Nem que para isso você deva ressuscitar a sua dentro de você.
Por isso é bom brincar de ser criança. E antes que o senhor tempo devastador leve para muito longe a criança que um dia você foi, dê uma volta na grande roda que é a vida e ‘bata salve-todos’ pela sua.

6 comentários:

thais disse...

só pq brincou de batatinha frita um,dois,tres ontem!!
UHAUHAUHAUHA.

amei esse texto,um dos melhores!
do é bom demais visse?

bjo little!
:*

Roda_de_fogo disse...

losss saudades te tu !!!!!
pra quem disse que ia mandar email, escrever... tao muitooooo falso

Roda_de_fogo disse...

procura-se los que fugiu!!!!









ps ontem quinta feira fiquei ate 3 horas da manha lhe esperando....tsc tsc =)

thais disse...

cuidado com a patroa ai visse?!
UHAUAHUAHUAHA.
te amo amorzinho!
to morrendo de saudade!
:****

thais disse...

ta bom de fazerum textinho
novo ja ne?
saudadedetu.
:*

Mayara disse...

só passei pra dizer oi!
bjus