terça-feira, outubro 23, 2007

Eu sei


Hoje eu descobri algo sobre mim. Na verdade, essa frase é um exagero, pois não foi bem uma descoberta. Mas foi uma certeza de algo que eu já desconfiava há algum tempo. Nao diz respeito ao que sou ou ao que deixo de ser. Mas é sobre o que eu quero para mim no futuro.

É o seguinte: hoje ficou claro que as coisas ficam melhores quando você pratica as teorias adquiridas. Nada é mais salutar do que a sensação de ver produzido na real o que antes era imbuído da vagueza da abstração.

Hoje eu descobri que preciso ajudar o próximo. Que eu me preocupo com o bem-estar alheio, que meu negócio mesmo é contribuir socialmente. Percebi, em poucas horas, o quanto nossas diferenças explicitam na verdade o que temos de mais igual. Não vou explicar aqui qual foi a experiência que me fez reconhecer esse fato - não é de modo algum essa a intenção desse texto -, mas pretendo discorrer sobre esse importante momento em que você se olha sem miopia e sente o que realmente importa em você. É a comprovaçãode habilidades que até então você achava que tinha; é a percepção de que aquilo que era tosco e assombrado pela inexperiência é capaz de em pouco tempo brotar frondoso, pintado de novas cores, já velhas na consciência, mas originais na forma pela qual se expressam através de você.

Não sei se a atividade jurídica que tanto me enche de dúvidas ao longo desses anos de estudo sejam onde minha função nesse mundo se estabeleça confortavelmente; nem mesmo sei se através da escrita, um hábito prazeroso que me enche a alma, é o meu porto seguro da estabilidade de consciência. Mas sei, hoje eu sei, que é meu dever neste Planeta fazer dele um lugar menos sofrido de se viver.

E se esse discurso soa inexperiente, fruto de uma juventude incipiente, utópica, saiba que ele se sedimenta justamente numa maturidade estabelecida. Talvez o meu destino seja mesmo soar sempre como inocente e sonhador aos ouvidos mais impermissivos, como se eu não enxergasse as mazelas do mundo cão que se apresenta. Mas é justamente quando essas mazelas aparecem, que me percorrem os impulsos de dirimir esses males, de baixar essa febre. E não vejo outra saída que não a de estender a minha mão ao outro, seja através de minha caneta, de meu pensamento, de minha palavra ou de meu coração.

2 comentários:

ídola disse...

Não.. eu não tinha duvida que tu é o cara!
O melhor da vida é quando a gente conhece pessoas iluminadas como tu nesse mundo! :)
bejos ídolo
virei mais fã

Vou cobrar ajuda qnd precisar viu?
hehe hj tow sem inspiração pra escrever à altura de um texto tão tocante qnt o teu =~~
ah.. o simples fato de tu postar aqui experiências e ídeias tão bem vividas e pensadas, respectivamente.. já é uma ajuda e tanto.. nem sabe o qnt ^^

=***

thais disse...

"Talvez o meu destino seja mesmo soar sempre como inocente e sonhador aos ouvidos mais impermissivos, como se eu não enxergasse as mazelas do mundo cão que se apresenta. Mas é justamente quando essas mazelas aparecem, que me percorrem os impulsos de dirimir esses males, de baixar essa febre. E não vejo outra saída que não a de estender a minha mão ao outro, seja através de minha caneta, de meu pensamento, de minha palavra ou de meu coração."


adoroooo qdo tu tais otimista :)
se precisar de ajuda eu to aqui pra ser inocente e sonhadora contigo!!!

bjoooo chuchu :D